Notícias

Quatro envolvidos em caso de tiroteio entre policiais de MG e SP são ouvidos na terceira audiência em Juiz de Fora


De acordo com a Justiça, uma quarta sessão ainda será realizada. O crime ocorreu em outubro de 2018 e envolveu negociação entre empresários; duas pessoas morreram. Policiais civis se envolveram em tiroteio em hospital em Juiz de Fora Reprodução/TV Integração A terceira audiência de instrução, sobre o caso do tiroteio entre policiais de Minas Gerais e São Paulo, ocorreu nesta sexta-feira (23), na 4ª Vara Criminal, em Juiz de Fora. Segundo informações apuradas pelo MG2, quatro réus mineiros foram ouvidos pelo juiz Cristiano Álvares Valladares do Lago. Prestaram depoimento os policiais Leonardo Soares Siqueira, Marcelo Martolla de Resende e Rafael Ramos dos Santos, além de Antônio Vilela, apontado como o proprietário do dinheiro falso, que responderá pelo crime de estelionato tentado. O MG2 também apurou que será realizada uma quarta audiência, onde Nivaldo Fialho da Cunha, motorista do empresário Antônio Vilela, preso nesta quinta-feira (22), em Cataguases, será ouvido. A data ainda não foi divulgada. De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a sessão não foi aberta à imprensa porque o caso corre em segredo de Justiça. Conforme o órgão, depois que for concluída a audiência de instrução terão início outras fases do processo. Justiça realiza 3ª audiência sobre tiroteio entre policiais de MG e SP em Juiz de Fora No dia 2 de agosto, o G1 mostrou que apenas uma nova testemunha foi ouvida na segunda sessão do caso. Já na primeira sessão, realizada em 11 de julho, foram ouvidas várias testemunhas. Há outras que não compareceram na data e que a defesa entende serem fundamentais. Segundo informações apuradas pelo MG2 no dia da sessão, 14 das 30 testemunhas foram ouvidas entre 14h e 22h. Denúncia Em dezembro do ano passado, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciou os três policiais mineiros pelos crimes de latrocínio - roubo seguido de morte, organização criminosa, lavagem de dinheiro e fraude processual. Policiais mineiros envolvidos em tiroteio em Juiz de Fora devem ser ouvidos em audiência Reprodução/TV Integração Para os promotores, o grupo de Minas Gerais armou uma emboscada para roubar dólares que os empresários de São Paulo levaram para negociar na cidade mineira. No desfecho da negociação, houve um tiroteio e duas pessoas morreram. Outro envolvido na ação, um empresário de 66 anos, segue preso em Juiz de Fora. No dia 25 de abril, o G1 divulgou que o Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, determinou o retorno ao trabalho dos quatro policiais civis de São Paulo, que são dois delegados, e dois investigadores, envolvidos no tiroteio. Eles não podem usar armas. O que se sabe sobre o tiroteio O que ocorreu? Por volta das 16h de 19 de outubro, um tiroteio no estacionamento de um prédio anexo do Hospital Monte Sinai mobilizou as polícias Militar (PM) e Civil de Juiz de Fora. A informação inicial era de que a ocorrência envolvia policiais civis de São Paulo e de Minas Gerais. O policial de Juiz de Fora, Rodrigo Francisco, morreu no local e os empresários de Juiz de Fora e de São Paulo e foram atendidas na unidade hospitalar. O mineiro teve alta e dono da empresa de segurança de SP morreu no dia 25 de outubro. A investigação mostrou que empresários de SP e um doleiro de MG também estavam envolvidos na ocorrência. Os tiros começaram por causa de um "desacerto" por causa de R$ 14 milhões em notas falsas que o doleiro levava. Para os promotores, o grupo de Minas Gerais armou uma emboscada para roubar os dólares que os empresários de São Paulo levaram para negociar na cidade mineira. Quem são os envolvidos? Nove policiais e dois empresários de São Paulo. Cinco policiais, um empresário, um advogado, um motorista, um comparsa e outra pessoa ainda não identificada de Minas Gerais. Quem foi preso? Quatro policiais civis de São Paulo - os investigadores Caio Augusto Freitas Ferreira de Lira e Jorge Alexandre Barbosa de Miranda e os delegados Bruno Martins Magalhães Alves e Rodrigo Castro Salgado da Costa - tiveram a prisão ratificada por lavagem de dinheiro. Eles foram soltos após um habeas corpus concedido pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Reynaldo Soares da Fonseca. Três policiais civis mineiros - Leonardo Soares Siqueira, Marcelo Martolla de Resende e Rafael Ramos dos Santos. Eles foram transferidos para a Casa de Custódia, em Belo Horizonte. Antônio Vilela, apontado como o proprietário do dinheiro falso, responderá pelo estelionato tentado. Ele retornou para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Juiz de Fora, transferido de um presídio em Ribeirão das Neves (MG). Nivaldo Fialho da Cunha, de 53 anos, motorista do empresário Antônio Vilela no dia do crime. Policiais civis se envolveram em tiroteio em hospital em Juiz de Fora G1/G1

Estoque de vacinas contra o sarampo está normalizado em Divinópolis


Segundo a Gerência Regional de Saúde, município recebeu 24 mil doses este ano. Quantidade consegue imunizar todos os públicos. Vacinação de sarampo em Divinópolis Reprodução/TV Integração A Gerência Regional de Saúde informou que Divinópolis recebeu 24 mil doses da vacina contra o sarampo de janeiro a agosto deste ano. A cidade ainda não recebeu doses extras da tríplice viral, mas a quantidade em estoque consegue imunizar todos os públicos. Nenhum caso da doença foi registrado em Divinópolis em 2019. No posto do Bairro Nações, o movimento é intenso, mas a procura pela dose específica contra o sarampo ainda não aumentou. o estoque está normalizado. Vacinação O Ministério da Saúde recomendou um reforço da dose da vacina para crianças com menos de um ano. O calendário nacional de vacinação preconizava duas doses da vacina: a primeira com um ano e a segunda com um ano e três meses. Bebês de 6 a 11 meses também devem ser imunizados. O estoque em Divinópolis está normal, mas o município deve receber mais doses da vacina tríplice viral. O reforço é para evitar um surto de sarampo, depois que foram registrados casos no Estado de São Paulo. De acordo com o Ministério da Saúde, 1.680 pessoas tiveram sarampo este ano no país. Em Belo Horizonte, dois casos da doença foram confirmados, além de Betim e Contagem com confirmações também. Uberlândia, Viçosa e Passos têm casos suspeitos da doença, conforme a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Pessoas com até 29 anos têm direito a tomar duas doses da vacina que também previne caxumba e a rubéola. De 30 a 49 anos, o recomendado é que seja aplicada uma dose. A vacina está disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todas as unidades. Estoque de vacinas contra o sarampo está normalizado em Divinópolis

Condenado por estupro de vulnerável é preso durante ação da PRF na BR-040 em Juiz de Fora


O homem estava em um veículo com placas de Brasília (DF). Durante a abordagem, os agentes constataram que havia um mandado de prisão em aberto contra ele. Homem foi preso na BR-040 em Juiz de Fora nesta sexta-feira (23) PRF/Divulgação Um homem, de 38 anos, foi preso na tarde desta sexta-feira (23) no km 766 da BR-040, em Juiz de Fora. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ele tinha um mandado de prisão em aberto por ter sido condenado por estupro de vulnerável. Segundo informações da PRF, ele dirigia um carro com placas de Brasília (DF) quando foi abordado pelos agentes. Em consulta ao sistema, foi constatado que havia um mandado de prisão em aberto contra ele, expedido pela Justiça no dia 14 de dezembro de 2018. Além disso, os policiais também constataram que ele foi condenado a 22 anos e 6 meses em regime fechado, por estupro de vulnerável, sendo a vítima em questão enteada dele, de idade não divulgada, à época do crime. O homem é natural de Anápolis (GO). O homem foi preso e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil do município para demais providências.

Vídeos: MG2 TV Integração Centro-Oeste MG e Alto Paranaíba de sexta-feira, 23 de agosto de 2019


Assista aos vídeos do telejornal com notícias do Centro-Oeste de Minas e Alto Paranaíba. Assista aos vídeos do telejornal com notícias do Centro-Oeste de Minas e Alto Paranaíba.

Vídeo mostra detentos sendo contidos com balas de borracha em presídio da Grande BH


Segundo Secretaria de Justiça, quatro homens sofreram escoriações na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem. Agentes precisam conter detentos dentro da Penitenciária Nelson Hungria Agentes penitenciários tiveram que conter detentos na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, nesta sexta-feira (23). O complexo foi interditado pela Justiça no último dia 8. Imagens divulgadas pela Rádio Itatiaia mostram os presos em um corredor. Os agentes aparecem usando armas com balas de borracha para que os detentos voltem para as celas. De acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, um procedimento rotineiro de revista nas celas estava sendo realizado. Durante o processo, quatro presos ofereceram resistência, sendo necessário o uso da força. Ainda segundo a pasta, os presos sofreram escoriações e foram levados para o Instituto Médico-Legal (IML) para exame de corpo de delito. Em uma das celas, foram encontrados quatro celulares e um chuço – espécie de arma de fabricação caseira em uma das celas. Detentos foram contidos com balas de borracha na Penitenciária Nelson Hungria, nesta sexta-feira (23). Reprodução/TV Globo

Vídeos: MG2 TV Integração Triângulo e Alto Paranaíba de sexta-feira, 23 de agosto de 2019


Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

Vídeos: MG2 TV Integração Zona da Mata e Campo das Vertentes de sexta-feira, 23 de agosto de 2019


Assista aos vídeos de Zona da Mata e Campo das Vertentes. Assista aos vídeos de Zona da Mata e Campo das Vertentes.

Uberaba e Uberlândia registram saldo positivo na geração de empregos formais em julho


Dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Veja os setores que contribuíram para aumento dos índices nos dois municípios. Resultados do Caged são baseados na criação de empregos com carteira assinada Eliel Nascimemto/Divulgação As duas principais cidades do Triângulo Mineiro, Uberlândia e Uberaba, registraram saldo positivo no número de vagas formais em julho. O saldo é a diferença entre as contratações e a demissões no período. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) referentes ao mês de julho foram divulgados pelo Ministério da Economia, nesta sexta-feira (23). Uberlândia Na maior cidade da região, segundo o Caged, o mês de julho registrou 9.436 admissões e 8.698 desligamentos, gerando um saldo positivo de 738 vagas. Os números demonstram recuperação em relação ao mês anterior, quando foram 7.688 contratações e 8.046 desligamentos, com saldo negativo de -358. O setor que mais colaborou para o saldo positivo foi o de serviços, que teve 5.120 admissões e 4.510 demissões, o que resultou em um saldo positivo de 610 vagas formais. Caged de junho aponta saldo negativo na geração de empregos em Uberlândia e positivo para Uberaba Caged de maio aponta que Uberlândia tem saldo positivo de empregos e Uberaba negativo Setor de serviços impulsiona a geração de empregos em Uberlândia e Uberaba durante abril Outros dois segmentos fecharam o período com saldo positivo na geração de emprego. Construção Civil, com 1.101 admissões e 929 demissões (saldo positivo de 172 vagas); e Comércio, com 2.172 admissões e 2.046 demissões (saldo de 126 postos de emprego com carteira assinada). Além disso, o setor de Extrativa Mineral se manteve estável, com 5 admissões e 5 demissões. “Estamos com investimentos em infraestrutura e na melhoria de serviços essenciais, como nas áreas de saúde, educação e social. Isso cria confiança no empreendedor, especialmente no que nasceu e cresceu aqui. Esse cenário se reflete em geração de emprego e renda e prova que estamos no caminho certo”, disse o prefeito Odelmo Leão (PP). Por outro lado, quatro setores tiveram mais demissão do que contratação na cidade: Administração Pública (-9); Indústria da Transformação (-15 vagas); Serviços Industriais de Utilidade Pública (-19 vagas) e Agropecuária (-127). Ainda conforme o Caged, no acumulado do ano, o saldo na geração de empregos do município é positivo em 3.194 vagas de trabalho formal, pois, no período de janeiro a julho foram ocupadas 61.423 vagas e houve 58.229 desligamentos. Nos últimos 12 meses, o saldo é de 4.175 vagas formais. Criação de empregos formais em Uberlândia - Julho/2019 Uberaba Pelo segundo mês consecutivo, Uberaba registra saldo positivo na geração de empregos. Em julho foram 3.285 admissões e 2.971 demissões, resultando em 314 postos formais de trabalho. Em junho, foram 2.828 admissões diante de 2.718 demissões, saldo de 110. No município, o setor que mais colaborou para o saldo positivo foi o de Agropecuária. Foram 295 vagas ocupadas e 132 desligamentos, com saldo de 163 vagas. Extrativa Mineral (31); Indústria de Transformação (65); Serviços Industriais de Utilidade Pública (3); e Construção Civil (117) também encerraram o período analisado com saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada. No sentido contrário, tiveram saldo negativo os setores de Comércio (-54) e Serviços (-11). Já o segmento de Administração Pública não contratou nem demitiu no período. Com os resultados referentes ao mês de julho, o balanço de janeiro a julho segue positivo no município. Conforme os dados do Caged, no período foram 22.171 contratações e 22.170 demissões, com saldo positivo de 1 vaga. Já o saldo em relação aos últimos 12 meses é de 4 postos de trabalho. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação (Sedec), José Renato Gomes, destacou que o saldo positivo de julho é o melhor do município neste ano. “Novamente reforçamos que o Município tem o poder – e dever – de atuar na geração de novos empregos, o que está sendo feito com a viabilização de diversos investimentos. Infelizmente não temos nenhum controle sobre demissões, mas estamos cumprindo o papel que nos cabe. A expectativa é positiva, pois novos grandes investimentos estão em movimento, além de pequenos e médios empreendedores trazendo novas operações”, afirmou. José Renato relembrou que, em 2018, Uberaba teve o melhor saldo positivo do Triângulo Mineiro no balanço anual. “E queremos repetir isso neste ano, pois a Prefeitura de Uberaba não tem medido esforços para garantir grandes investimentos e novas empresas. Sem estes grandes esforços, os dados do Caged seriam diferentes”, concluu. Criação de empregos formais em Uberaba - Julho/2019

VÍDEOS: EPTV 2 Sul de Minas de sexta-feira, 23 de agosto


Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Sul de Minas. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Sul de Minas.

Polícia Civil investiga golpe de venda de mesmo terreno para 12 pessoas em MG


Homem é apontado como suspeito de fazer negócios com vítimas para compra de terreno na zona rural de Santa Rita do Sapucaí (MG). Polícia Civil investiga golpe de venda de mesmo terreno para 12 pessoas em MG A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar um golpe de venda de um mesmo terreno na zona rural de Santa Rita do Sapucaí (MG) para pelo menos 12 pessoas. Todos os compradores têm o contrato de compra de venda em mãos e reclamam do mesmo suspeito. As investigações levaram a polícia a pedir a prisão preventiva dele. “Fizemos o pedido de prisão em vista do grande número de vítimas. Por hora, não foi autorizada a prisão. No dia que nós fomos intimar, ele viu a viatura e fugiu. Ele está foragido”, explicou o delegado Daniel Leme Amaral. Um dos compradores fez o negócio no final de 2018 para construir a casa própria. Outro homem disse que o negócio veio após colocar um carro à venda. “Ele me mandou uma mensagem e perguntou se eu interessava em um terreno. Fui lá ver um terreno e ele ofereceu os dois. Fomos no cartório dia 13, passamos a escritura e ele falou pra mim que iria trazer a chave. Mas não atendeu mais o telefone”, explicou o homem que não quis se identificar. Os contratos de compra e venda foram reconhecidos em cartório. Para piorar a situação, o mesmo lote continua à venda. Terreno foi vendido para 12 pessoas em Santa Rita do Sapucaí (MG) Reprodução/EPTV O suspeito de cometer o golpe ainda emite contratos falsos. E quando o comprador chega ao local, o lote está trancado. “Ele vem e fala que já está cercado, 'se vocês quiserem vendo até em um preço melhor, porque já tem porteira e cadeado'. Aí o pessoal pergunta da chave e ele fala que esqueceu”, conta o autônomo Paulo Taison Lifeter da Costa. Um funcionário público diz ser o primeiro comprador de outro lote que estaria à venda. Ele colocou uma placa para indicar que se trata de uma propriedade particular. “Ele vem aqui, mostra e vende, o pessoal compra inocente. Ele faz um compromisso, não sei o que ele faz”, explicou o funcionário público Cláudio Roberto de Souza. O suspeito de negociar os terrenos entrou em contato com a produção da EPTV, afiliada da Rede Globo, por e-mail. Em resposta, ele negou ter vendido os lotes. O homem disse que acreditava ter assinado documentos de locação de imóvel. Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas

Carlinhos Maia apresenta show de humor 'Mas, Carlos!' pela primeira vez no AP


Espetáculo será no dia 30 de setembro, no Teatro das Bacabeiras. Apresentação aposta na interação com o público para garantir risadas. Comediante Carlinhos Maia se apresentará pela primeira vez em Macapá no dia 2 de setembro Divulgação O alagoano Carlinhos Maia é um dos fenômenos das redes sociais, somando quase 10 milhões de seguidores no Instagram e Facebook. Conhecido pelos vídeos bem humorados, o artista estará no Amapá pela primeira vez no dia 30 de setembro, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. O show havia sido marcado para o dia 2 de setembro, mas, por problemas de saúde da mãe dele, o artista anunciou o adiamento da apresentação através das próprias redes sociais. A organização do evento informou que os ingressos comprados anteriormente serão válidos para a nova data. A devolução do ingresso também está sendo feita. Maia se destacou na internet falando do seu dia a dia e assuntos cotidianos com irreverência, além de mostrar a convivência com os vizinhos na vila onde mora, na cidade de Penedo, em Alagoas. No show "Mas, Carlos!", que será apresentado na capital, o artista relata vários momentos de sua trajetória, até o sucesso com vídeos na web. Ele aposta na interação com o público para garantir risadas. Outro característica do show é que Maia conta, de forma bem humorada, um pouco sobre a vida de "digital influencer", que é uma espécie nova de celebridade. Marlon Santos, produtor do espetáculo, comenta que Maia é, atualmente, um dos maiores fenômenos das redes sociais e que o novo show dele é um dos mais procurados do país. "A motivação para trazer o Carlinhos [Maia] para Macapá é bem simples, ele está bombando nas redes sociais e todo mundo no país quer conhecer mais sobre ele, o que é justamente o que será apresentado no espetáculo", falou. Para garantir os ingressos antecipados, que custam de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Serviço Espetáculo 'Mas, Carlos!' Data: 30 de setembro (domingo) Local: Teatro das Bacabeiras Hora: 20h Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) Informações: (96) 98138-0887 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Michele Maycoth interpreta sucessos de Maria Gadú em noite romântica no AP


'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' fazem parte do repertório. Evento será realizado no dia 1º de setembro num espaço cultural na Zona Central de Macapá. Apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, em um espaço cultural em Macapá Michele Maycoth/Arquivo Pessoal Interpretando sucessos de Maria Gadú, uma das relevações da MPB, a cantora amapaense Michele Maycoth prepara um show que promete embalar os apaixonados. A apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, a partir das 20h, em um espaço cultural na Zona Central de Macapá. Com uma apresentação predominantemente acústica e intimista, a cantora espera estar mais próxima do público, principalmente para cantar junto com ela sucessos como "Linda Rosa", "João de Barro", "A História de Lilly Braun" e "Shimbalaiê". De acordo com a produção do show, Michele tocará durante mais de uma hora e também haverão participações especiais, entre elas, Alexandre Moraes, Erick Pureza e Nitai Silva. Os ingressos podem ser adquiridos em dois postos de vendas na Zona Central da capital e com a produção do show ao preço inicial de R$ 10. Sucessos como 'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' não vão ficar de fora do show Divulgação Serviço Michele Maycoth canta Maria Gadú Data: 1º de setembro (sábado) Hora: 20h Local: Quintal Walô 54 (Avenida José Antônio Siqueira, 1212, bairro Jesus de Nazaré) Ingressos: R$ 10 (1º lote) Postos de vendas: Norte Rock (Villa Nova Shopping); Quintal Walô 54 Informações e compra de ingressos: (96) 98142-0743 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Exposição 'Minha Aldeia' reúne fotografias inspiradas no cotidiano amapaense


Mostra reúne 27 imagens do fotógrafo Floriano Lima. Vernissage acontece no dia 24 de agosto no Sesc Centro, em Macapá. Visitações seguem até 20 de setembro. Mostra 'Minha Aldeia' busca evidenciar as belezas escondidas na simplicidade da vida no Amapá Floriano Lima/Divulgação Com fotos de paisagens, cartões-postais e até mesmo de trabalhadores à beira do Rio Amazonas, o fotógrafo Floriano Lima reúne 27 imagens que retratam o cotidiano amapaense na exposição "Minha Aldeia". A mostra ficará aberta ao público de 27 de agosto a 20 de setembro, na unidade Centro do Serviço Social do Comércio (Sesc), em Macapá. O fotógrafo define não existir um tema específico na exposição, condição que deu a ele liberdade para retratar desde as fotos mais "clichês", até imagens comuns do dia a dia. "Sempre gostei de fotografar nossos cartões postais porque eles são muito bonitos e únicos. Então, por mais 'batidas' que pareçam, eles fazem parte da proposta da exposição", adiantou. Dormir na rede, trabalhar com embarcações ou até mesmo o céu no fim de tarde são inspirações para o fotógrafo, que diz buscar evidenciar as belezas escondidas na simplicidade. Todas as imagens foram feitas entre 2016 até este ano. Elas compõem fases da profissão de Floriano Lima, de 56 anos, que iniciou a fazer "clicks" aos 17. "Essas fotos são recentes e fazem parte da minha carreira profissional. Apesar de fotografar desde a adolescência, quando ganhei minha primeira câmera fotográfica, trabalho profissionalmente na área há cerca de 5 anos", contou. A vernissage da exposição acontece no dia 24 de agosto, às 19h público poderá prestigiar a mostra de segunda a sexta-feira, no horário das 9h às 11h e das 15 às 17h. Serviço Exposição fotográfica "Minha Aldeia" Data: vernissage 24 de agosto; visitações de 27 de agosto a 20 de setembro Hora: abertura 19h; visitações das 9h às 11h e das 15h às 17h Local: Sesc Centro Entrada: gratuita Fotógrafo reuniu 27 imagens para a mostra que acontece até o dia 20 de setembro Floriano Lima/Divulgação Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Peça teatral amapaense vai narrar acontecimentos 19 anos depois do último livro de Harry Potter


Espetáculo está marcado para os dias 16 e 17 de agosto, no Teatro das Bacabeiras. Adaptação amapaense vai regionalizar história original que é inglesa. Peça teatral 'Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado' será nos dias 16 e 17 de agosto, em Macapá Google Inspirada na peça londrina que contou os acontecimentos 19 anos depois de "Harry Potter e as Relíquias da Morte", um grupo amapaense de teatro propõe uma adaptação do espetáculo que virou sucesso no Reino Unido e bateu recorde de bilheteria na Broadway. A apresentação acontece nos dias 16 e 17 de agosto, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. Intitulado "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois", a peça do grupo "O Beco Teatral e o Projeto Literar Amapá" segue a estrutura do espetáculo londrino, com os protagonistas da saga mais velhos e focando a aventura nos filhos do feiticeiro. De acordo com um dos diretores da peça, Iury Laudrup, o trabalho foi regionalizado. "Nosso trabalho é adaptar, uma vez que a peça original tem mais de 5 horas de duração. Então, encurtamos a história e regionalizamos o roteiro para que nossa peça tenha sua própria identidade", ressaltou. O espetáculo amapaense conta com oito personagens no elenco principal e 12 pessoas na produção e terá uma hora e meia de duração. Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos antecipadamente em três postos de vendas na Zona Central da capital, ao preço de R$ 15 + um quilo de alimento não perecível. História A montagem teatral continua a história de Harry Potter de onde o sétimo e último volume da saga de J.K. Rowling parou, com um enredo envolvendo um Harry adulto e o seu filho do meio, Alvo Severo. Ele também é pai de Tiago Sirius, o mais velho, e de Lília Luna, a caçula. Agora, Potter é um funcionário sobrecarregado de trabalho no Ministério da Magia, com três crianças em idade escolar. Ele "lida com um passado que se recusa a ficar no lugar ao qual pertence", diz um texto sobre a peça. Enquanto isso, Alvo, assim chamado em homenagem ao antigo diretor de Hogwarts e mentor de Harry, Alvo Dumbledore, se esforça para lidar com o peso do legado da família. Serviço "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois" Datas: 16 e 17 de agosto Local: Teatro das Bacabeiras (Rua Cândido Mendes, 1087 – Centro) Ingressos: R$15 + um quilo de alimento não perecível Postos de Venda: Livraria Acadêmica (Macapá Shopping - Piso L2); Amapanime Space (Avenida Vereador Orlando Pinto, Nº: 640F - Santa Rita); Parada do Cachorro Quente (Rua Odilardo Silva, Nº: 2289 - Centro) Informações: (96) 98128-4949 / (21) 96979-6812 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Levantamento do G1 mostra variação de preço nas opções de transporte em Divinópolis; confira


Valores dos meios disponíveis na cidade variam de R$ 4,05 a R$ 15. Preço do transporte coletivo varia de acordo com forma de pagamento e para comunidades rurais TV Integração/Reprodução Quem mora em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, e precisa se locomover conta, atualmente, com três empresas de aplicativos, ônibus, taxis e mototaxis à disposição. Mas, destas, qual a mais barata? O G1 fez um levantamento com todos os tipos de transporte disponíveis na cidade. Com base em uma viagem de dois quilômetros, o usuário gasta entre R$ 4,05, caso opte por ir de ônibus, a R$ 15 caso faça o trajeto em um táxi ou em dos aplicativo disponíveis na cidade. Ônibus Segundo a Prefeitura, o meio de transporte mais utilizado no município é o transporte público, que tem cerca de 80 mil usuários por dia. O valor das passagens, no entanto, varia. Atualmente, o transporte público municipal custa R$ 4,05 para pagamento em dinheiro e R$ 3,60 para pagamento via cartão de vale-transporte. Segundo a Prefeitura, a frota é de 153 ônibus na cidade. Destes, 144 fazem viagens diárias e outros nove funcionam como veículos reservas. Para as comunidades rurais, o preço varia de acordo com a distância da comunidade ao centro da cidade. Veja na tabela os preços: Preços de ônibus para comunidades rurais em Divinópolis Táxis e Mototáxis Segundo a Associação dos Taxistas de Divinópolis, o número de motoristas não acompanha o tamanho da população. Atualmente, existem 90 taxistas no município espalhados em pontos estratégicos da cidade como no Centro, rodoviária e próximo à supermercados. A associação, no entanto, afirma que os pontos são insuficientes e bairros mais afastados também deveriam ter a presença dos veículos. Atualmente, uma corrida do Centro até o bairro Niterói, com cerca de dois quilômetros de distância, custa, em média, R$ 15 dependendo da bandeira. Valor médio do táxi em Divinópolis para corrida de 2 km é de R$ 15 Reprodução/TV Integração Deste valor, R$ 4,50 são impostos que devem ser repassados ao município – o valor é, também, o valor inicial registrado no taxímetro, segundo a associação. O serviço de mototáxi foi regulamentado em agosto do ano passado e atualmente, segundo a Prefeitura, cerca de 60 mototaxistas atuam nas quatro empresas regularizadas no município. O preço das corridas, no entanto, é calculado pelos próprios motoristas e não é tabelado. Usando como parâmetro a distância levantada com o táxi, três mototaxistas da cidade afirmaram valores distintos para a corrida: o primeiro disse ao G1 que cobraria R$ 5. O segundo, R$ 7 e o terceiro cobraria R$ 10 pela corrida. Segundo a Prefeitura, a diferença é considerada normal porque os gastos do mototaxista varia de acordo com o tipo de moto conduzida por ele e, diferentemente dos táxis, o serviço não possui um valor mínimo estipulado. Mototáxi também apresenta variação no preço Reprodução/Tv Integração Aplicativos A cidade conta, ainda, com três opções de transporte por aplicativo: Uber, Go Car e Uper 7. Para usar o serviço, o usuário deve instalar os respectivos aplicativos em seu smartphone. Segundo um dos proprietários do Go Car, Bruno Alvim, a tarifa do serviço é cerca de 25% menor do que a cobrada pelos táxis. Atualmente, a empresa conta com cerca de 20 veículos pela cidade. No trajeto entre o Centro e o Bairro Niterói, por exemplo, a corrida ficaria em R$ 7. A Uper 7, empresa fundada em 2009, afirmou contar com cerca de 30 veículos cadastrados na cidade. Destes, a tarifa básica dos taxistas é mantida e cobra-se entre R$ 2,17 e R$ 2,50 por quilômetro, dependendo do tipo de veículo solicitado. O valor estimado pelo aplicativo no trajeto escolhido pelo G1 apontou o mesmo preço do táxi. A Uber, por sua vez, informou, por meio da assessoria, que divulga somente dados estaduais. Segundo a empresa, em Minas Gerais atualmente existem 35 mil motoristas atuando pelo aplicativo. Um motorista que faz corridas pelo aplicativo da Uber em Divinópolis, e que pediu para não ser identificado, revelou ao G1 que existe um grupo de mensagens instantâneas com os motoristas da empresa na cidade e que, atualmente, existem cerca de 60 pessoas. No trajeto calculado pela reportagem, a corrida ficaria em R$ 6,75. Contudo, o motorista alerta que o preço varia conforme o horário e a demanda dos usuários. Com relação ao transporte particular, Divinópolis conta atualmente com cerca de 125 mil veículos - uma média de dois habitantes por veículo.

Show de humor em Macapá leva histórias de ribeirinhos da Amazônia para o teatro


Dupla Epaminondas Gustavo e Adilson Alcântara apresentam ‘Agora é que são Eles’, na sexta-feira (3), no Teatro das Bacabeiras. Lançamento de livros também marcam visita dos humoristas ao AP. Epaminondas Gustavo (com a bandeira) e Adilson Alcântara no show 'Agora é que são Eles’ Divulgação Histórias engraçadas de ribeirinhos que vivem no interior do Pará inspiraram o repertório de “Agora é que são Eles”, novo show de humor da dupla paraense Epaminondas Gustavo e Adilson Alcântara. A apresentação do espetáculo acontece na sexta-feira (3), no Teatro das Bacabeiras, em Macapá. Com o sotaque típico da região, o personagem Epaminondas Gustavo, interpretado pelo ator Cláudio Rendeiro, conta aventuras, reclamações, desavenças, conselhos e fatos de comunidades que vivem às margens de rios. A apresentação teatral é acompanhada por canções de Alcântara. Além de ator, Rendeiro é juiz do Tribunal de Justiça do Pará. Ele caracterizou o protagonista do show de humor como um morador de São Caetano de Odivelas, cidade natal do magistrado, com linguajar “caboco” e cheio de expressões. Alcântara é um artista paraense com 25 anos de carreira como cantor, compositor, humorista e produtor cultural. Ele é o responsável por equilibrar o humor com a paródia, que também faz parte da vida dos ribeirinhos, e conta as piadas com ritmo e acompanhado por um violão. A dupla fez uma apresentação em Macapá em maio, lotou o teatro e quer repetir a experiência na capital. Espetáculo leva histórias hilárias da região ribeirinha do Pará Divulgação Livros e palestra Um dia antes da apresentação no Teatro das Bacabeiras, os humoristas vão fazer o lançamento dos livros “Sátira de um Ribeirinho”, que traz crônicas e histórias no olhar de Cláudio Rendeiro, e “Lírica Ribeirinhas e Outras Margens”, com o lado poético do artista. O lançamento dos livros é gratuito acontece após uma palestra-show voltada para alunos do curso de direito, no auditório do Sebrae em Macapá. Serviços Palestra-show para estudantes de direito Data: 2 de agosto (quinta-feira) Hora: 19h Local: Auditório do Sebrae (Av. Ernestino Borges, 740 - Laguinho) Entrada: R$ 20 Lançamento dos livros Data: 2 de agosto (quinta-feira) Hora: 20h30 Local: Auditório do Sebrae Entrada: franca Show de humor 'Agora é que são Eles' Data: 3 de agosto (sexta-feira) Hora: 20h Local: Teatro das Bacabeiras Ingresso: R$ 30 Informações: (96) 98139-9346 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Sem dinheiro, venezuelanos acampam às margens de rodovia na fronteira do Brasil: 'aqui pelo menos temos comida'


Cidade de Pacaraima, em Roraima, tem abrigo público, mas ele é só para índios venezuelanos. Sem ter para onde ir, famílias inteiras estão vivendo às margens da BR-174, que liga os dois países. Angélia Aguilera, 18, e o filho de 2 anos ao lado da barraca em que estão vivendo há cerca de 1 mês; 'Na rua é muito frio' Inaê Brandão/G1 RR Venezuelanos estão vivendo em acampamentos improvisados em Pacaraima, no Norte de Roraima, na fronteira do Brasil. Um deles fica às margens da BR-174, rodovia que liga o país a Venezuela, e tem pelo menos 30 famílias. Conforme a prefeitura, a cidade tem uma média de 1,5 mil imigrantes em situação de rua - o equivalente a 22% da população local, que é de cerca de 15 mil habitantes. O município possui um abrigo público, mas ele é exclusivo para imigrantes indígenas. Procurada, a Força Tarefa Logística Humanitária, criada pelo Governo Federal para lidar com a imigração, informou que está em implantação um novo abrigo para não-índios na fronteira. Chamado de BV8, ele terá capacidade para 500 pessoas. No acampamento às margens da rodovia, famílias inteiras estão morando em barracas de camping e estruturas improvisadas com lonas, madeiras e até papelões. As estruturas são cobertas por plástico para proteger da chuva, comum neste período do ano. Na madrugada, a temperatura chega aos 16º C. A jovem Angélia Aguilera, de 18 anos, está no Brasil há um mês. Ela, o marido e o filho Elieser, de um ano, vivem nas ruas de Pacaraima desde então. "Aqui na rua é muito frio. Nunca imaginei que ia passar por isso", lamentou Angélia. A família saiu de Maturin, a 785 Km de Pacaraima, e conta a mesma história que outros milhares de venezuelanos que buscam refúgio no Brasil. "Vim porque na Venezuela não tem trabalho, comida e remédio. Não tem nada", disse Angélia, acrescentando que no país a família se alimentava apenas de mandioca e sardinha. O esposo trabalhava em uma empresa multinacional, mas o salário - corroído pela inflação diária de 2,8% - perdeu o poder de compra. Por isso, ele largou o trabalho há dois meses e a família resolveu tentar a vida no Brasil, onde busca trabalho. "A vida aqui está um pouco difícil porque não conseguimos dinheiro. Meu marido vende café na rua e não dá para quase nada. Mas dá para comer, sobreviver. Pelo menos temos comida", disse. O objetivo da família é chegar até Manaus. Luiz Sereño, 20, colocou bandeiras do Brasil na barraca improvisada: 'é uma homenagem ao país que me acolheu' Inaê Brandão/G1 RR O jovem Luiz Sereño, de 20 anos, também se mudou para o Brasil fugindo da crise econômica e política da Venezuela. Na barraca improvisada onde mora, o jovem colocou duas bandeiras do Brasil e disse que elas são uma homenagem ao país que o acolheu. "A bandeira representa a união. O Brasil nos recebeu como irmãos e sou grato", afirmou. Em Pacaraima, Luiz trabalha lavando carros. O dinheiro que consegue manda para a filha de três anos que ficou na terra natal. "A Venezuela tem muitos recursos naturais, mas já estamos cansados de passar fome. Tenho uma filha e chorava quando via ela comendo só manga". Na rua, os imigrantes cozinham em latas de tintas e, muitas vezes, dependem de doações de moradores para se alimentar. Sem lugar para se higienizar, aqueles que não possuem entre R$ 1 e R$ 4 para pagar um estabelecimento comercial para usarem o banheiro ficam sem banho e precisam fazer as necessidades em uma região de mata, na outra margem da rodovia. Imigrantes fazem comida em fogões improvisados Inaê Brandão/G1 RR Crise migratória Nos primeiros seis meses deste ano, mais de 16 mil venezuelanos pediram refúgio em Roraima, segundo a Polícia Federal. O número já é 20% maior do que o registrado em todo o ano de 2017, quando foram recebidas pouco mais de 13,5 mil solicitações. Nos últimos 18 meses, 128 mil venezuelanos que entraram no Brasil pela fronteira de Pacaraima (RR), mas destes, 31,5 mil, voltaram para a Venezuela pelo mesmo caminho, e os outros 37,4 mil saíram do país de avião ou por outras fronteiras terrestres. O Exército Brasileiro calcula que a média de entrada de venezuelanos em Roraima nos últimos cinco meses foi de 416 pessoas ao dia. Ainda não há números precisos sobre a quantidade exata de venezuelanos vivendo em Roraima, mas um levantamento da prefeitura de Boa Vista apontou que, só na capital, há 25 mil moradores venezuelanos – o equivalente a 7,5% da população local, que é de 332 mil habitantes. Desses, pelos menos 65% estão desempregados. Atualmente o estado conta com dez abrigos públicos, totalizando cerca de 4,6 mil pessoas, seis deles abertos só neste ano. Mesmo assim, ainda há venezuelanos em situação de rua em 10 dos 15 municípios do estado. Além disso, 820 imigrantes já foram levados em voos da Força Aérea Brasileira (FAB) para São Paulo, Manaus, Cuiabá, Brasília, Rio de Janeiro, Igarassu (PE) e Conde (PB) no chamado processo de interiorização, que consiste em distribuir venezuelanos recém-chegados a Roraima para outros estados do país. Acampamento foi montado às margens da BR-174 Inaê Brandão/G1 RR Initial plugin text

Barracas de apoio aos romeiros começam a funcionar nesta sexta na BR-365 em Patos de Minas


Nos pontos de atendimento serão oferecidos alimentação, camas, escalda-pés, massagens e atendimento médico 24h até o dia 13 de agosto. Reprodução/TV Integração Os pontos de apoios aos romeiros começam a funcionar a partir desta sexta-feira (27) às margens da BR-365, km 439, após o trevo de Santa de Patos, em Patos de Minas. Serão oferecidos sanitários, camas, água e refeições durante 24h até o dia 13 de agosto. As Delegacias da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Patos de Minas e Uberlândia, realizarão a “Operação Romaria”, e a partir do dia 27 de julho haverá grupos dedicados à fiscalização de trânsito e do radar móvel na BR-365. Os romeiros terão direito a alimentação completa com café, leite, suco, pão e frutas, almoço, atendimento de saúde, além de escalda-pés, massagem e chuveiros. O Dia de Nossa Senhora da Abadia, padroeira do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, é celebrado no dia 15 de agosto e os fiéis católicos saem a pé até a cidade de Romaria como forma de agradecer ou cumprir alguma promessa.

Quilo do Pirarucu é vendido em Rondônia por R$ 9,36 no valor médio


Banana nanica, bezerro de corte e alface convencional também foram cotados. Valores se referem a preços pagos diretamente ao produtor. Veja quanto custa o preço do quilo do pirarucu em várias cidades Toni Mendes/ TG A Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO) realizou, entre os dias 16 a 20 de julho, a pesquisa de preços dos produtos agrícolas vendidos no estado. A cotação se refere ao valor pago diretamente ao produtor agrícola, nas unidades produtivas. Confira abaixo a lista de alguns itens: Peixe Pirarucu (quilo) Preço médio: R$ 9,36 Porto Velho: R$ 11,00 Guajará-Mirim: R$ 10,00 Ariquemes: cotação não informada Jaru: R$ 8,00 Rolim de Moura: R$ 7,40 Machadinho D'Oeste: R$ 10,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 9,00 Ji-Paraná: R$ 11,00 Colorado do Oeste: R$ 8,50 São Miguel do Guaporé: cotação não informada Costa Marques: cotação não informada Cacoal: cotação não informada Vilhena: cotação não informada Pimenta Bueno: cotação não informada Banana Nanica/ Nanicão (quilo) Preço médio: R$ 1,88 Porto Velho: R$ 2,00 Guajará-Mirim: R$ 1,80 Ariquemes: R$ 2,00 Jaru: R$ 2,00 Rolim de Moura: R$ 1,30 Machadinho D'Oeste: R$ 2,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 2,00 Ji-Paraná: R$ 2,00 Colorado do Oeste: R$ 2,00 São Miguel do Guaporé: 2,00 Costa Marques: 1,50 Cacoal: R$ Cotação não divulgada Vilhena: R$ Cotação não divulgada Pimenta Bueno: R$ 2,00 Bezerro de corte (cabeça) Preço médio: R$ 960,71 Porto Velho: R$ 950,00 Guajará-Mirim: R$ 900,00 Ariquemes: R$ 950,00 Jaru: R$ 1.000,00 Rolim de Moura: R$ 1.100 Machadinho D'Oeste: R$ 1.000,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 1.000,00 Ji-Paraná: R$ 950,00 Colorado do Oeste: R$ 1.000,00 São Miguel do Guaporé: 720,00 Costa Marques: R$ 900,00 Cacoal: R$ 980,00 Vilhena: R$ 1.000,00 Pimenta Bueno: R$ 1.000,00 Alface convencional (maço) Preço médio: R$ 1,80 Porto Velho: R$ 1,50 Guajará-Mirim: R$ 2,00 Ariquemes: R$ 2,00 Jaru: R$ 1,50 Rolim de Moura: R$ 1,50 Machadinho D'Oeste: R$ 2,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 2,00 Ji-Paraná: R$ 1,00 Colorado do Oeste: R$ 2,00 São Miguel do Guaporé: 2,00 Costa Marques: R$ 2,00 Cacoal: R$ 2,00 Vilhena: R$ 1,65 Pimenta Bueno: R$ 2,00

Confira as vagas de emprego do Sine em Macapá para o dia 24 de julho


Há oportunidades para auxiliar de vidraceiro, pescador, passadeiro, forneiro, técnico em laboratório e topógrafo. Número de vagas é de acordo com as empresas cadastradas. São ofertadas duas vagas para técnico em laboratório no Sine Macapá Divulgação/FVS O Sistema Nacional de Empregos no Amapá (Sine/AP) oferece vagas de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência. Os interessados podem procurar o Sine/AP, localizado n Rua General Rondon, nº 2350, na praça Floriano Peixoto. Em toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas em Macapá e Santana. Outras informações e oferta de vagas são pelo número (96) 4009-9702. Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado). Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas: Auxiliar de vidraceiro – 1 vaga Forneiro – 1 vaga Gerente de fibra óptica – 1 vaga Pescador especializado (PEP) - 1 Pescador profissional (POP) – 1 vaga Passadeiro – 1 vaga Motorista de pesca – 1 vaga Técnico em laboratório – 2 vagas Técnico em refrigeração – 1 vaga Técnico em edificações – 1 vaga Topógrafo – 1 vaga

Desenvolvido por Maikonlyne